3 Passos para Nunca Falhares um Treino

Por Era Uma Vez No Trilho | Corrida

3 Passos para Nunca Falhares um Treino

Aqueles que, tal como eu, treinam de manhã cedo antes de ir trabalhar, sabem que nem sempre é fácil sair da cama quando toca o chato do despertador. É nesse momento que começa a luta.

A luta entre a multidão de vozes que te dizem para te virares para o outro lado, que amanhã também é dia, que até estás a andar bem e se calhar este treino nem é assim tão importante… e aquela voz baixinha que te chama à razão, que te lembra o porquê de teres que saltar da cama aquela hora.

Para vencer esta luta tenho que fazer sempre três coisas fundamentais. É disso que vos falo hoje. Espero que vos seja útil.

Limpa as dúvidas da tua cabeça, com antecedência

A razão porque treinas, a razão que te obriga a ir pelo caminho mais difícil, a escolher o sacrifício em vez da facilidade, tem que estar clara para ti muito antes do despertador tocar. O porquê de te levantares a esta hora não pode ser motivo de discussão na tua cabeça quando começas a ouvir o som do despertador.

Se tudo isto para ti faz ou não sentido é algo que tens que decidir quando escolhes começar a correr, quando escolhes iniciar um novo plano de treino ou quando te inscreves numa prova. A partir desse momento acabou a discussão. Não pode haver nenhuma dúvida acerca de motivações ou conquistas do inútil.

As razões que nos levam a decidir que todo o sacrifício que aí vem faz sentido, temos que ser nós a descobri-las. Não é algo que possa ser imposto por alguém. Não só essas razões são muito diferentes de pessoa para pessoa, como têm que ser uma força só nossa, uma motivação única, para nos valermos dela quando for necessário.

Um treino de 60 minutos em estrada às 6h da manhã não é algo que me motive muito por si só. A tentação de o descartar pode ser grande – embora as sensações que depois traz valham a pena. Mas se pensar que preciso disso para no sábado andar feliz da vida no monte a usufruir intensamente, tenho a minha razão para levantar o rabo da cama.

Pensa em como te vais sentir após o treino

Há uns anos o Dean Karnazes esteve em Portugal e lembro-me que foi entrevistado pelo TSF Runners. Perguntaram-lhe qual a técnica que usava nos dias em que não se sentia motivado para correr. Não consegui encontrar o programa completo mas podem ouvir aqui a resposta.

A técnica chama-se projeção, e consiste em imaginar o quão melhor nos vamos sentir depois de ter corrido, comparado com o que nos sentimos antes. Segundo o homem das ultra-maratonas, não há uma única vez em que se tenha sentido pior depois de uma corrida.

A ideia é muito boa. Podes estar cansado, preocupado, nervoso, ensonado, escolhe tu! Após a corrida, o banho e algum tempo de recuperação, vais ver que te sentes mesmo melhor do que antes.

Há muitas explicações científicas sobre os benefícios que a corrida traz ao corpo e à mente. Falamos disso noutro dia. Hoje, apenas no sentimento de bem-estar, de dever cumprido, de olhar as preocupações de forma mais ligeira.

De certeza que já te sentiste assim, e se não, está na hora de começares a correr!

Podes também estender esta ideia ao que vais sentir durante o treino. Independentemente do local de treino, há sempre coisas que podes aproveitar e que te vão fazer sentir melhor. Quer seja campo ou cidade, de noite ou de dia, olha à volta e retira o mais que puderes do teu treino.

Deixa tudo preparado no dia anterior

Não deixes que nenhum pormenor seja desculpa para não saíres de casa. Antecipa. Prepara no dia anterior tudo aquilo que vais precisar no dia seguinte.

Vê que condições de tempo vão estar à hora da corrida – se vai chover, se vai fazer frio ou calor. Às vezes um céu estrelado quando te deitas pode mudar para uma manhã de chuva intensa.

Depois junta todo o equipamento que precisas no mesmo sitio, para ser só pegar nele e sair. Na dúvida, escolhe em excesso, se não precisares de tudo depois arrumas.

Uma dica para não te esqueceres de nada é começares pela cabeça e ir até aos pés. Ou ao contrário, como preferires. Sapatos, meias, calções, t-shirt, relógio, chaves de casa, etc.

Podes fazer o mesmo com o que vais comer assim que te levantas. Pode até nem ficar logo em cima da mesa, mas podes decidir o que vais comer e beber antes de te deitar. Se fizeres isto, em poucos minutos estás na rua.

Claro que grande parte do que disse também se aplica a quem corre a diferentes horas do dia. É igualmente complicado ter vontade de ir treinar depois de um dia desgastante. Ou ter que sair de casa depois do jantar, quando o que mais apetece é dar descanso ao corpo.

Espero que este artigo te tenha ajudado ou dado algumas pistas, e que em algum momento te possa servir de motivação para saíres para a rua correr!

Como não há receitas mágicas, e esta é uma luta diária para a maioria de nós, diz-nos na zona de comentários abaixo quais são as tuas dificuldades e as técnicas que utilizas para as ultrapassar. Se achaste o artigo interessante e pensas que pode ser útil para alguém, por favor partilha-o nas tuas redes sociais. Obrigado.

Seguir

Sobre o Autor